Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Se a Vida te dá limões...

Rotinas, Organização, Dicas e Desabafos. Uma vida igual a muitas outras!

A Guerra

Ana Gomes
04
Mar22

Como é possível que um único homem consegue colocar um mundo inteiro em pânico!

Como é possível que um único homem promete que não ataca um país mas no dia a seguir quebra essa promessa!

Como é possível acreditarmos neste único homem que prometeu e não cumpriu!

Como é possível acreditarmos quando este único homem diz que não fará guerra nuclear mas acaba por atacar centrais nucleares!

Como é possível que este único homem decrete uma lei hoje que quem criar as ditas Fake news será preso por 15 anos!

Como é possível que este único homem mande prender manifestantes no seu próprio País, pior ainda prendeu crianças que se manifestavam inocentemente contra a guerra!

Não consigo explicar aos meus filhos a razão para esta guerra, não consigo sequer entender esta guerra, não consigo entender o pensamento deste único homem. 

Nunca pensei que houvesse neste mundo um homem que nos deixasse em pânico e com medo, que nos fizesse pensar no sentido da vida, que quisesse dizimar um povo. 

Mas este homem esquece-se que este povo é guerreiro, um povo resistente, lutador, unido e que com eles está o resto do mundo! 

Façamos deste mundo um mundo melhor, ajudemos quem neste momento precisa de nós, colaboremos para conseguirmos acabar com esta guerra. 

Ucrânia sempre no coração! 

 

 

 

 

Tenho tanto para organizar e sabem que mais?

Ana Gomes
17
Fev22

...a vontade é nenhuma! 

Tenho um belo escritório que neste momento está transformado num estaleiro... literalmente parece um estaleiro!

Aquele belo escritório que transformei entre 2017/2018 

 

num belo escritório e depois no meu espaço de costura neste momento parece uma arrecadação para onde atiramos tudo! 

Qual a vontade de ir arrumar e organizar? NENHUMA!

Mas tenho que o voltar a organizar nem que seja um bocadinho por dia... agora para além do espaço para costura do lado oposto tenho outra secretária onde tenho tudo o que preciso para os meus crafts. 

Tenho que arranjar maneira de dar a volta aquela tralha toda, o móvel das pastas está fora de questão move-lo é impensável tal feito... mas os moveis e o estirador eu vou conseguir arranjar maneira de dar a volta aquilo! 

Esperem até eu ganhar coragem e tirar fotos do antes e do depois. 

Fica aqui a promessa pode demorar anos mas vou cumprir.

 

Em qual vaga vamos?

Ana Gomes
16
Fev22

Isto de estarmos em pandemia há 2 anos já me fez perder a contagem de vagas pelas quais já passamos. 

Ouço a toda a hora dizer "eu estive com covid na primeira vaga e apanhei de novo na terceira!" eu fico a pensar, mas qual a vaga que vamos agora? Quinta? Sexta?            

Sinceramente, eu ainda não apanhei COVID, quer dizer... ou tenho muita sorte e ando a passar pelos pingos da chuva ou então tive e nem sei... é mais provável. Digo que é provável porque quando tudo isto apareceu, no final do ano 2020 tive em contacto com 3 casos de COVID os meus 2 irmãos e um funcionário que esteve mesmo mal e ficou um mês de isolamento. 

E eu? Bem eu... a mim cheira-me que nessa altura inícios de outubro feriado do 5 de outubro fim de semana prolongado, restrições de circulação acabamos por ficar em casa e não ir para a aldeia. 

Foi daqueles finais de semana de sofá a ver séries e filmes. Passei ali uns dias com umas dores de cabeça e algumas dores musculares na zona das costas... desvalorizei. 

No mês de Novembro finais ficou a minha irmã... 10 dias depois de estar com ela decidi fazer em casa um teste serologico para saber se estava positiva... qual o meu espanto o resultado que deu foi que tinha anticorpos! Como? 

Até hoje não consigo explicar o facto de nenhuma de nós os 4 lá em casa ter apanhado... os miúdos nas escolas é o que se ve e houve uma altura acerca de uma mês atrás que o mais novo testava 1x por semana porque apareciam casos uns atrás dos outros. O mais velho nas escolas eles nem avisam quem tem, quantos faltam na sala, não mandam ninguém testar. Pode ser que se crie a imunidade de grupo. 

Aqui na empresa também temos tido alguns casos um dos quais já vais na segunda vez infetado.

Por isso vos digo ou tenho muita sorte mesmo e passo nos pingos da chuva, ou estou imune e não sei bem como porque me parece pouco provável, ou então o bicho já passou pelos 4 e ninguém deu por ela.

Costumo dizer... traste ruim não tem desvio.

Coaching...

Ana Gomes
10
Fev22

Cada vez mais fico irritada quando ouço alguém deitar a culpa nos outros quando não a sabem assumir! 

Sim ouço e vejo isso diariamente e começo a ficar farta, muito farta, mas hoje foi a gota de água. 

Quando trabalhei 2 anos numa empresa de telecominicações no serviço de apoio ao cliente por telefone... tive várias sessões de coaching para aprendermos técnicas e termos para falarmos com o cliente. 

Sou sincera há clientes que nos levam ao desespero. Mas o principal que aprendemos é não dar razão ao cliente quando sabemos que ele a tem nem NUNCA o acusar de nada. 

Pois bem acho que a colega daqui deveria ir assistir a um coaching desses porque acabo de a ouvir dizer duas coisas que quase caí da cadeira.

1. "Todos nós erramos!" 

Acabei de ouvir estas palavras e só me apetecia manda-la calar... mas conhecendo o feitio e sabendo que ela tem sempre de ter razão calei-e e pensei que a coisa ficava por ali... eis quando profere esta bela frase "está a ver o senhor também errou!" 

MORRI!

Sem palavras

Tipo de patrões

Ana Gomes
04
Fev22

Há vários tipos de patrões e agora que sou uma começo a perceber a diferença entre patrões.

 

Patrão desleixado

Aquele que chega à hora que quer e lhe apetece não dá satisfação aos outros sócios sobre a sua ausência. É capaz de entrar às 10h da manhã sair às 11h e nem chegar a aparecer de tarde. 

Faz orçamentação, trabalho fabril e afins, consegue ter o trabalho quase em dia mesmo com as horas que falta ao trabalho.

 

Patrão "quero nem saber"

Aquele patrão que chega no horário 8:30, vai tomar café, senta-se na secretária a ver o telemóvel e redes sociais, atende chamadas dos amigos e quando são 10h liga o PC para ver os emails. Sim só ver, porque não dá para responder. 

Acaba por ficar com o trabalho em atraso e depois anda sempre a reclamar que tem muito que fazer e não consegue ter o serviço em dia!

Entenda-se que este patrão as suas tarefas são básica, orçamentação somente. 

Este tipo de patrão é daqueles que tem consulta às 14:00 da tarde sai e diz onde vai e que já volta mas só aparece no dia seguinte com a desculpa que "a consulta atrasou!" 

Todas as consultas deste patrão atrasam-se! 

 

Patrão "quase exemplar"

Aquele que entra antes da hora e antes de tomar café já ligou o PC, já tratou de alguns papéis que deixou em cima da secretária para arquivar em quanto espera que o PC ligue. 

Senta-se e verifica extractos de contas bancárias, emails e responde-os de imediato, organiza o trabalho que tem para o dia e consegue ao final da manhã ter tudo arrumado. 

Pode até passar o resto do dia agarrado ao computador e redes sociais mas sempre que surge algo trata logo do assunto. 

É o tipo de patrão que tenta marcar as consultas sempre à primeira hora do dia (manhã) e está sempre a stressar para consguir chegar ao trabalho mesmo que falte uma hora para sair. 

Pode até trabalhar aos fins de semana ou férias em teletrabalho e entra e sai sempre antes e depois da hora.

O trabalho deste patrão é quase tudo na empresa, sabe fazer de tudo um pouco desde orçamentação, contabilidade e fábricas.

 

Ai infelizmente tenho todos estes tipos de patrões vocês conhecem mais algum?

 

 

 

 

Parece que fico desnorteada

Ana Gomes
31
Jan22

Decidimos que este final de semana não iriamos para a aldeia, primeiro por causa de votarmos no domingo e não termos de vir a correr e depois porque não sabiamos o resultado do teste COVID do mais novo. Sim andamos nisto de testar por causa da escola todas as semanas. Até ao momento sempre negativo mas não me acredito que seja por muito tempo, um dia calhará a cada um de nós! 

Mas para mim ficar em casa, num apartamento sem jardim, só pequenas varandas faz-me alguma confusão para quem em 2 anos já se habituou a viajar todas as sextas para a aldeia e só voltar ao fim do dia de domingo. O facto de poder andar no jardim, apanhar sol sem ser numa varanda, ouvir passáros em vez de carros isso tudo me relaxa e deixa calma, sem isso fico quase desnorteada. 

Ficar em casa fechada pareço uma barata tonta sem saber bem o que fazer, apesar de saber que tenho imenso que posso fazer e arrumar, mas não sei parece que entro em depressão e deito-me no sofá só me levantando para tratar das refeições. 

O próximo final de semana vai ser mais um no apartamente, testagem COVID a mim e ao mais novo para as doses de reforço da vacina e depois fechados em casa! 

Tenho de pensar em programar qualquer coisa para fazer e não passar o fim de semana sentada no sofá a devorar séries e filmes. 

Acho que vou tentar organizar o meu escritório, este final de semana organizei o meu despenseiro e o armário das caixas de cozinha! Acho que está na hora de me virar para o escritório.

A ver se consigo fazer um cantinho de jogos para os miudos a ver se eles não passam a vida na sala a jogar PS5 e nós a olharmos para eles e assim podermos assistir a TV a ver se consigo um espacinho para a TV e para a PS.

Doar metade dos livros que lá tenho, organizar as pastas de arquivo e ver se finalmente limpo aquele sofá de todas as tralhas que lá estão.

Tudo isto se não me der a preguiça claro! 

 

Ter um cão

Ana Gomes
24
Jan22

Sinceramente vou começar por vos dizer que já não sabia o que era ter um cão dentro de casa há mais de 6 anos.

Ainda nãos e ouvia muito a falar sobre COVID e os pequenos passavam a vida a chatear que queriam um Pug. Sinceramente nunca adorei a raça, são daqueles cães que acho estranhos, feios. 

Entrei com o mais novo na loja de animais ao pé de casa a qual vamos regularmente e estão lá Pugs... sai-me um "cão tão feio parece que levou com uma porta na cara!"

O funcionário que passava pegou num e deu-me para o meu colo... derreti... o bichinho encostou-se ao meu pescoço. Não resisiti e trouxe o raio de cão.

Passaram 2 anos e o cão é uma paz de alma... adora brincar com o meu filho mais novo que é o que mais o aborrece... e adora dormir em cima da manta quando estou no sofá. Só há um senão, é quando vamos para a aldeia ele acordar-me às 5h da manhã para ir ao jardim fazer xixi... ninguém merece. 

Comecei-o a habituar a ficar solto em casa quando saimos para o trabalho, nos primeiros dias tivemos algumas surpresas mas agora porta-se lindamente. 

Já não me lembrava mesmo de como era ter um cão que parece a minha sombra. 

Aqui fica fotos dele! 

 

 

Continuamos a não dar atenção

Ana Gomes
19
Jan22

Infelizmente mais uma vez uma adolescente de 16 anos partiu! Partiu para que possa descansar de um problema que muitas vezes é incompreendido! 

Sofria de depressão e estava a ser tratada e medicada com a ajuda da familia. Mas a população continua a não dar atenção às doenças mentais. 

A povo não imagina a dor e sofrimento que isto causa nas pessoas que sofrem e nas familias da mesma! 

Há por aí muitas pessoas que acham que uma depressão é um mero capricho de quem não se sente bem, de quem tem dores, de quem tem ataques de panico... Não é! Não imaginam o quão agoniante é para a pessoa que sofre, o quão agoniante é pedir ajuda sabendo que do outro lado poderá estar alguém que ache que isto é somente coisas de quem não tem nada para fazer. 

Não falo só por falar, infelizmente já passei por várias as quais consegui e tive coragem de pedir ajuda a tempo e horas. Aprendi mecanismos de defesa para que as coisas não piorem e sei notar sinais em mim de que as coisas vão começar a cair!

Tudo começou em 2010 após o nascimento do meu filho mais velho, como era possivel eu como mãe resmungar com um bebé de 6 meses que passava a vida sentado no carrinho a brincar e a ver bonecos? Alguma coisa não estava bem! Fui falar com a minha médica e quando lhe comecei a contar o que sentia e como falava para o meu filho foi a gota... desatei num choro só e aí começou a minha primeira medicação. Após um ano de medicação e como o caso não foi grave comecei o dito desmame da medicação e andei feliz e saudável até 2019. 

O ano de todas as minha provações, acabar 2018 com a noticia que o meu pai estaca canceroso e com metasteses, começar 2019 a leva-lo a Espanha para tratamentos e passar 2 meses sem o ver por não poder ir lá. Saber que esteve duas vezes nos cuidados intensivos e que quase o perdi sem me poder despedir, acabou mesmo por partir sem que lhe pudesse dizer um "até já!".

Abril 2019, após o falecimento do meu pai começou o meu tormento novamente, fiquei eu de tratar de tudo sobre a herança. (Atenção tenho mais 3 irmãos)

Andei a correr para bancos uma semana após a morte dele a deixar pedidos de extratos de contas e ao final de 2 bancos já as lágrimas me corriam pela cara. 

Em Maio para minha desgraça o meu marido tem um AIT (Acidente Isquémico Transitório) e eu sempre na correria dos papéis da herança e a levar o marido a consultas e exames. 

Chega Junho e eu não aguentei mais... entrei no consultório da médica de família (sim esta era a verdadeira médica de toda a família) e desato num pranto que não tinha nem forças nem vontade para nada. Dizia-lhe que me doia o corpo todo e que por vezes tinha falta de ar, um aperto no peito e não dormia!

Fui posta em casa por 30 dias, tomava medicação de manhã e à noite, ia deixar os meus filhos à escola voltava para casa e deitava-me e só acordava na hora de os ir buscar e voltava para a cama. 

Andei nisto mais um ano com medicação para dormir, para estar calma e por fim quando achei necessário fazer o  desmame porque já conseguia reagir "normalmente" na vida veio a pandemia!

Compramos a casa na Aldeia e desde então vamos para lá todos os fins de semana, deixei a medicação em Junho de 2020. 

Comecei a entender que nem tudo tem de girar à volta dos outros, que não tenho que me preocupar com os outros mas comigo e com os meus filhos tudo o resto é um acréscimo.

2021 em maio sou diganosticada com lesão no útero e lá ando eu a correr para biopsias, exames para ser operada em finais de setembro.

2021 passou... covid, férias, escola, trabalho, operação tudo dentro do normal, mas final de 2021 começo de novo a ter insónias, dores musculares nas costas zona lombar e ombros e tudo começa de novo a surgir. 

O facto de não dormir não significa não tenhamos sono mas sim que o nosso sistema não está a desligar como devia por algum problema, são estes pequenos sinais aos quais devemos ter atenção. O porquê de dores musculares se não fomos ao ginásio, não fizemos actividade nenhuma que nos deixasse com dores! 

Continuei assim por 3 meses achando que seria o stress de ter sido operada, apesar de tudo estar bem aquilo fica sempre na nossa cabeça a martelar. Sem médica de familia porque ela se reformou liguei à enfermeira e pedi-lhe medicação para dormir. Sabendo ela do meu historial mandou-me passar no centro de saúde para uma consulta do urgência. 

Adorei o médico e a maneira que ele abordou o assunto, sei que ele tem lá o historial todo mas recordo que me perguntou o porquê de lá estar e disse-lhe que não dormia há uns meses e que sentia necessidade de descansar. A pergunta a seguir foi "não tem vontade de acabar com o mundo?"

Comecei-me a rir e disse "Não Doutor, só quero mesmo dormir, não estou na fase de querer acabar com tudo e com todos só estou mesmo cansada de tudo o que passei desde Maio até agora com a lesão no utero!"

Ele olhou para mim e sorriu, passou-me um relaxante muscular e digo-vos que foram as melhores noites de descanso da minha vida, já não me lembrava de dormir tão bem. 

Por vezes sabermos quando recorrer e pedir ajuda, ajuda-nos a nós! 

Sabermos descodificar os sinais que o nosso corpo dá é o melhor para nós! 

 

Pequena reflexão ou conselho que vos deixo:

Se não se sentirem bem, tiverem dores ou pensamentos que vos atormentam por favor falem com alguém que vos seja chegado, familia, amigos mas acima de tudo falem com o vosso médico peçam ajuda. 

Não é vergonha nenhuam pedirmos ajuda quando não conseguimos sozinhos, não temos que levar o mundo às nossas costas, não temos de fazer estas viagens sozinhos e quanto mais cedo conseguirmos entender os sinais mais fácil será o tratamento e a recuperação. 

Como soube eu quais os sinais? Eu estudei Psicologia e claro já vi um irmão numa depressão profunda que para sair dela precisou de 3 anos e ainda hoje anda medicado. Tudo isto ajudou-me a mim a entender tudo o que sentia e a pedir ajuda. 

Peçam ajuda! 

Link de acesso a informação DGS sobre linhas de apoio à saúde mental

9 Coisas que temos que nos lembrar

Ana Gomes
18
Jan22

Apenas para reflexão

 

1. Não é preciso definir todos os objetivos no inicio do ano

2. Faz as coisas ao teu ritmo

3. Não precisas de atingir os teus objectivos num mês ou no primeiro ano

4. Tu vales por aquilo que TU és!

5. Todos estão na sua própria jornada, incluindo tu.

6. Encontra alegria nas pequenas coisas da vida

7. Dá compaixão a ti mesmo

8. Não te compares aos outros.

9. Acima de tudo sê tu mesmo.

 

Pequeno texto tirado AQUI

Vou começar de novo...

Ana Gomes
11
Jan22

Calma, calma! 

O que vou iniciar de novo é mesmo os trabalhos manuais, fazer coisinhas, começar a decorar a casa com pequenas coisas feitas por mim! 

Quero ver se começo um projecto que prometi à minha mãe fazer-lhe para ela criar uma adega, quero ver se crio pequenas coisas conforme a época redecorar a casa toda! 

Ter algo que me distraia depois do trabalho, que me leve os pensamentos para longe e me deixe ali fechada no meu mundo! 

Será que vocês estão preparados para ver? 

Se sim sigam-me no instagram basta clicarem ali de lado no icon dele!